Um cordel para um amigo

Minha graça é Manoel da Silva Melo, nasci em Pernambuco dia 3 de outubro de 1956, de parteira, sem luxo nem vez

Nasci com uma deficiência, um caroço no final da coluna

Assim que meus pai me viro acharo q era doença braba e já dirrubaro em lágrima achando que eu não ia sobrevive e que tarvez ia cresce, mas bem mufino, fizero assim um único pedido aos meus padrim:

– Leve o menino pra batizá, se Deus permiti, pelo menos nosso nome ele vai carregá, se avexe logo porque o caso é grave, são seis légua, corte o estradão pra mode diminui o caminho enquanto eu vou chama o padre pra ajeita a reza pro menino

Pois assim foi, me butaru recém-nascido num cavalo manco e partimo pro igreja

Me registraru, vortemo pra casa e Deus me deu não só a graça de vivê mas também a graça de ter muita disposição pra trabaiá e pra fazer acontecê

O caroço me acompanhava dia após dia mas isso não me impedia de ajuda mamãe e papai na lida

Com 11 ano de idade vim pra SP com esperança de fazer cirurgia e retira o caroço que tanto me deixava abilolado e nervoso

Chegano no hospital era cada maquina doida dos doutô que eu ficava com medo só de olhá, uns nome estranho junto com umas comida sem sal que num dava nem pra mastigá…

Foi uma cansera danada mas deu tudo certo, me operaram e retiraro o danado do objeto

Vortano pra Pernambuco, descobri uma galeguinha danada de bonita, o nome dela era Cleonice da Silva

Paqueramu por demais da conta, sem nenhuma amedronta mas também com muito respeito e sem nenhuma afronta

Com 19 ano vortei pra SP pra caça emprego, trabaiei de sol a sol sem sossego, de vendedor de panela e pano de prato, até alho e veneno de rato

Não tive professor, aprendi tudo na rua e sozinho, vendia sem contrato, entregava o produto de imediato e ainda deixava o cliente satisfeito e farto

Mas de repente ainda nem era primavera e me deu uma aperto no peito de saudade da minha paquera que me fez vortá pra minha terra e procura ela

De namoro agora noiz era casado, de igreja e papel passado

Cleonice sempre foi bonita, jeitosa e toda cheia de doçura, sempre disposta a me faze feliz e toda cheia de fartura, podia tá o sol q fô q a galega fazia chove no sertão de tanta formosura!

Vinhemo vive nossa vida em SP num barraquinho no União, era pequeno, sem jeito, sem piso e sem muito enfeito mas ali mesmo que veio a ser o leito do nosso primeiro filho, o Felix!

De aí em diante as porta começo a abri, comprei uma casa ali na Avenida Um e Paula chegou pra nossa vida florir

E digo pra vocês que me surpriendi quando descobri que dois não era muito e de repente já era 3, vindo por sua vez a caçula Francielle fruto da ultima gravidez.

Mas em 96 meu destino foi tirano e uma queda eu tomei machucanu não só os quarto mas também o crânio!

Cai de bicicleta e perdi todinha a memória, não me lembrava nem de meu nome muito menos de minha história

Vortei a ser criança, não sabia destingui o certo e o errado, e inté fugi do hospital achando que era o mais sensato sem saber que um anjo na rua encontraria, veje só o relato

Os médico disseru que eu não vortaria ao normal, que era caso perdido e que a família podia até se dar por vencido, pq só mesmo um milagre podia resolver meus problema adquirido

Mas graças a muita oração da comunidade, dum dia pro outro eu acordei com toda memória de volta, parecia um filme de cinema com amor, prosa e reviravolta

Os médico desacreditaru e ficaru tudo sem jeito diante da trapaça mas eu sei muito bem que o nome do remédio se chamava Nossa senhora das Graças

Mas como se isso já não fosse o suficiente pra bota minha fé em prova, além da perca de memória e do caroço nas costa, em 2010 descobri que tinha câncer de próstata

Não baixei a cabeça, fiz o que sabia de melhor, reuni a comunidade e tornemo a faze oração com todo fervor e suor

Não se demoro muito e a resposta já veio, o douto me encaminhou pra um hospital muito do chique e fiz uma cirurgia robótica pra me livra da doença e do mal q me deixava angustiado e triste

Essa foi um pouquinho de minha história e hoje to completando 60 anos de idade e 20 que renasci, vocês são parte disso e creio que muita história boa ainda há por vir

Veja vocês que esse que vos fala já foi desacreditado da vida inté na hora do nascimento, se essa é minha sina Coralina, permita-me discordar dessa Vida Severina porquê até avó já sou da menina Valentina

Mas de tudo isso certamente se tenho que agradece alguém são vcs que sempre esteve presente nos momento em que eu precisei, só eu e minha família sabe o que sofri e passei

Fé não é coisa que se brinque, dificuldade eu sempre tive mas nunca reclamei dos aperto q Deus me deu, afinal de conta é nessas hora que a gente descobre os amigo teu

Finalizo aqui meus verso agradecendo mais uma vez a vocês por escutar toda minha vida em forma de cordel, não esquecendo também de agradecê a minha mãezinha Nossa Senhora das Graça que estais no céu, hoje, eu Manoel, aprendi que noiz tudo somo igual papel, a gente tem q sabe escreve, desenha e ser fiel, mas nossa vida só dá certo mesmo quando a gente deixa nosso senhor Jesus Cristo ser o pincel.

 Cordel que fiz em homenagem aos 60 anos de Manoel da Silva Melo, um grande amigo e mestre

03/10/2016

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: