Talvez

Jonas há muito tempo deixou de cuidar da aparência

Hoje cedo ao pegar o terceiro ônibus para chegar no trabalho tomou sua cerveja quente tão rápido quanto o moleque fazia seu show durante o farol vermelho, há tempos esse tem sido seu café da manhã.

Usa a mesma camisa social desabotoada de sempre.

Não usa meias no pé.

Não faz a barba fazem 7 dias.

– Buceta! – Disse quando a cerveja espumou e molhou a única calça que tinha.

Jonas já foi católico, daqueles fiéis que passam na frente da matriz e se benzem, mas depois que começou a morar sozinho a religião azedou ele.

Ontem a marmita fria estava estragada e passou a noite vomitando com uma maldita infecção alimentar, hoje acordou atrasado com dor de cabeça e ratos e baratas no pé da cama fazendo o desjejum com seu vomito.

Odeia o trabalho

Odeia perder horas dentro de onibus

Um dia desses até tentou pedir demissão mas é tão cuzão que só reza pra que seu chefe não note ele bêbado enquanto finge trabalhar. Jonas conseguiu melhorar da infecção mastigando uma muda inteira de boldo.

Antigamente sempre se apaixonava 3 ou 4 vezes no metrô observando as garotas e como elas poderiam ser perfeitas pra ele mas hoje indo pro trabalho nem sequer se importou com as pessoas em volta quando derramou a cerveja dentro do ônibus, acostumou a ser invisível quando trabalhou de panfleteiro por 2 anos na adolescência, naquela época ele só queria juntar dinheiro pra comprar uma guitarra, ser um músico famoso, fazer sucesso e ter um cabelo que nem o Bruce Dickinson, hoje em dia ele não sabe nem mais destingir se sente raiva ou inveja dos adolescentes sempre com aquela cara de sexta-feira.

—- 7 horas da manhã

—- Entrou no serviço

…..

—12h

Não tinha feito marmita e nem tinha dinheiro pra almoçar, saiu pra fora e ficou sentado na calçada enquanto almoçava seu último cigarro. Assistiu uma pomba ser atropelada e ficou admirando aquela cena como quando um garoto vai no cinema pela primeira vez e o tempo não existe, queria entender aquele presságio e encontrou beleza naqueles órgãos expostos.

—- 13h da tarde

…..

—17h da tarde

Morrendo de fome pegou o primeiro busão que apareceu, lotado, não conseguiu lugar pra sentar e no ponto seguinte entrou um filho da puta com esfiha do habibis no ônibus.

Calor

Transito

Fome

Cheiro de esfiha

Hoje, de uma estação pra outra voltando do trabalho ele viu sua primeira namorada, guarda o numero dela até hoje no celular mas não foi falar com ela, nunca teve coragem de ligar pra ela, ficou lá escondido, sendo o cuzão que sempre foi.Quando embarcou no primeiro metrô se certificou de confundir-se com a multidão e quando as portas fecharam se arrependeu, a saudade da adolescência virou uma odisseia silenciosa dentro dele e por um segundo ele queria ser aquela pomba obliterada.
Talvez, talvez, TALVEZ ou ainda talvez todos nós já fomos todos Jonas algum dia.
 [Paulo Vinícius]
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: